quinta-feira, 16 de agosto de 2007

Obra-prima

Uma pausa na moda para mostrar o comercial que comemora os 50 anos da RBS. Simplesmente maravilhoso!

8 comentários:

LU K. disse...

Nossa, lindo mesmo!
Que bom q vc postou isso aqui, pois eu provavelmente não veria tão cedo aqui em sampa...
beijos

Larissa disse...

Sério que tu gostou? Achei longo demais e ruim que dói. No fim, ele não ajuda a menina a se comunicar: ele a isola de todo mundo!

Maria Paula Letti disse...

essa versão é a mais longa, mas a que está rodando na tv é editada.

a mãe do menino tem o papel principal, lari. ela é quem mostra para o filho que a gurizinha tem alguma dificuldade e o estimula a interagir. ali está a verdadeira comunicação.

achei poético e realista ao mesmo tempo. na vida real, é mais fácil encontrar pessoas únicas como ele, que fazem a diferença, do que um time todo de futebol brincando com uma pessoa surda, entende?

beijos!

Anônimo disse...

a rbs podia ao menos ter tradução em libras dos seus jornais, seria bem mais eficaz do que este comercial (um pouco tiro no pé)

Rafa disse...

Nem me fala, eu q tenho andado a flor da pele me botei a chorar feito criancinha vendo esta propaganda!

Larissa disse...

Hm.
Continuo achando piegas e a versão que eu vi foi da TV (e já era loooonga). Não comunicou comigo!

Mirella disse...

Eu achei piegas, mas bonita. Até chorei também.

Mas a Lari tá certa. O guri (que é a RBS na propaganda, tá até com as cores novas do grupo), em vez de ajudar a guria a se comunicar com o mundo, leva ela prum lugar onde só estão os dois.

Vanessa disse...

Olá
Eu tb chorei assistindo a este comercial na TV, pois é um assunto que me comove muito, e no qual me encontro profundamente envolvida. Recentemente, inclusive, criei um blog a respeito (visitas e comentários são bem-vindos!!)
Parabéns pelo post e pela sensibilidade, às vezes é assim mesmo, nossas ações para incluir são interpretadas como se fossem para excluir, pq para muitos, a questão da diversidade e da diferença é difícil de ser encarada. Mas qualquer tentativa de aproximação é louvável, assim como a do menino. Abração!

www.blogvendovozes.blogspot.com